Ruminantes

O desespero da espada
é saber que todo dia
nós e nossa utopia
vamos nascer mais uma vez

Anúncios

Eu não sei amar (para Tim Maia)

Com o coração partido
sou uma companhia insuportável

mas com o coração apaixonado
sou um opressor terrível

eu não sei amar
eu não sei perder quem eu amo
eu não sei deixar o rio seguir o curso
de seu destino
eu não sei viver sem o beijo
sem o toque
sem o calor e sem o fogo

você tem um cigarro?
eu não fumo, mas nunca é tarde para começar
a aprender com a fumaça como a vida é um sopro
e como a felicidade é pó voando num dia de sol

um leve toque na cortina
e não há mais rastro nenhum de coisa alguma

Qualquer final

Eu acordei esta manhã com minhas costas doendo como nunca. Mas o que parecia castigo, era só amor. Eu acordei e já não havia mais a camisa com sacos de areias nos meus bolsos, já não havia mais os sapatos encharcados em meus pés. Não havia mais roupa alguma. Só havia você. O que eu sentia era uma forma de dizer acorde, você não tem mais tempo para cochilar. Era hora de acordar para sonhar com qualquer final.

Bilhete póstumo

Linda rosa no meio do vomito
Lindo amor egoísta
Lindos amigos imaginários
Linda gota de sangue meu derramada em seu nome
Linda gota de sangue insignificante
Linda fé de perguntas sem respostas
Lindo ponto solto no meio da multidão
Lindo baralho onde todas as cartas são dois
Lindos dias de sol, noite e nenhuma esperança

Felizes por estarmos vivos ainda e ver que
o fogo queima
a água molha
e o resto do mundo tem tantas novidades quanto isso

Eu não consigo sair de mim
E você não consegue entrar
e encontrar o papel com seu nome
num ritual que você nunca entendeu e nunca será capaz de entender

Férias

Em férias
um hiato no desespero
com prazo de validade

eu, mais um que busca respostas dessa vida em formato de sorriso de canto de boca
eu, que vejo a enchente carregar em pedaços
pedaços das nossas vidas

traz sofás, armários, carros, corpos, vereadores, ONGs, apresentadores de TV
numa força de água que não preenche o furo n´alma
que todo mundo carrega e mais cedo ou mais tarde fica impossível de cobrir
um furo que vai abrir
e jorrar

alguns, mais de uma vez
muitos, por mais de um dia
poucos, limpos de toda a sujeira
exorcisados
quase canonizados
serão capazes de confirmar que amar foi a única revolução verdadeira a existir
e resistir

190

– Polícia militar, soldado Elenice, boa noite.
– Elenice, por que a alegria abranda e a dor faz jorrar?
– Polícia Militar, soldado Elenice, boa noite.
– Você entendeu muito bem o que eu disse, Elenice. Quando tudo era sol, não caia nem uma gota neste papel, mas agora tudo vem de cascata, tá tudo aqui, toda a dor.
– Senhor, você ligou para o 190, se não houver nenhuma ocorrência, terei que desligar…
– Elenice, só me ouve. Eu sei que você é capaz de me entender. Você sabe muito bem o que o Erasmo quis dizer com mais um na multidão, né? Sabe Elenice, eu tive aulas sobre história da arte, debati política, as duas grandes guerras, física quântica. Tenho pilhas de manuais de usuários, mapas da cidade. Sei um pouco sobre teologia, conheço um monte de métodos de conquista. E, no final, para seguir em frente, tudo depende de acreditar cegamente em alguma coisa. Hoje eu sei o que o Erasmo quis dizer…só mais um na multidão, Elenice, só mais um na multidão.
– Elenice? Elenice?
BLAM!
– Elenice?????